Cuidados para uma viagem tranquila com o seu gato?

Categoria: Felinos

Autor(a): Ivan Dognani | Colaborador(es): Jornalismo Top.Co. | Cidade: Campinas | 05/03/2014 - 16:18

Passear com os bichanos não é nenhum bicho de sete cabeças. Fique atento às dicas de segurança e bem-estar e boa viagem!

Warning: getimagesize(): Peer certificate CN=`caes-e-cia.com.br' did not match expected CN=`www.revistapulodogato.com.br' in /home/pulo-do-gato/mod/mod_Core/subModulos/pulo2017-materias-Ler-materia.php on line 135

Warning: getimagesize(): Failed to enable crypto in /home/pulo-do-gato/mod/mod_Core/subModulos/pulo2017-materias-Ler-materia.php on line 135

Warning: getimagesize(https://www.revistapulodogato.com.br//admin/storage/Imagens/gato%20tranquilo.jpg): failed to open stream: operation failed in /home/pulo-do-gato/mod/mod_Core/subModulos/pulo2017-materias-Ler-materia.php on line 135
Foto meramente ilustrativa: Divulgação

Foto meramente ilustrativa: Divulgação

Quem tem um gato sabe o quanto custa sair de férias e deixar o bichano em casa ou em um hotel próprio. Para a saudade não apertar, é possível levá-lo nas viagens, porém é preciso tomar alguns cuidados básicos antes de cair na estrada. Por isso a Comac (Comissão de Animais de Companhia do SINDAN), em parceria com veterinários e especialistas do segmento pet, dá dicas de cuidado e comportamento para que o tão merecido descanso não se torne um pesadelo. 

O primeiro passo é adquirir uma caixa transportadora de gato, pois deixar o animal solto dentro do carro pode acarretar graves acidentes. Não pense que ele achará ruim ser transportado dentro do compartimento, muito pelo contrário, a reclusão será o conforto do seu pet durante a viagem. Mas é preciso ambientá-lo na caixa de transporte, para que ele não estranhe. “Forre um cobertor e, depois, coloque o gato lá dentro por breves períodos, por vários dias. Prolongue o período de reclusão a cada dia, até que seu felino pareça à vontade em repouso e sinta o seu cheiro lá dentro”, afirma a veterinária Ceres Faraco.

Dado o primeiro passo, comece a acostumá-lo com o carro. Não saia de uma hora para outra em viagens longas. Faça trajetos curtos para que o gatinho se habitue aos movimentos e ruídos do veículo. Certifique-se de que a caixa não está inclinada, pois muitos assentos de carro não são retos e, se você posicionar o acessório de maneira errada, o passeio será bastante desconfortável. “Embora seja verdade que os gatos têm incrível equilíbrio e coordenação, eles não gostam de ficar lutando constantemente contra um declive, já que ao mesmo tempo precisam compensar os movimentos do veículo”, comenta a especialista em comportamento animal.

Outro ponto-chave é evitar música alta dentro do veículo, pois os barulhos naturais do carro já são surpreendentes para um gato. Se a viagem é longa o suficiente para exigir pausas para o banheiro, planejar as paradas com antecedência é a melhor opção. Intervalos para usar o banheiro ao ar livre são ótima alternativa, já que o bichano, certamente, vai apreciar a oportunidade de esticar as pernas. No entanto, fique de olho para ele não fugir nesses momentos. Nesse caso, o uso da coleira pode ser uma precaução. Independentemente da duração da viagem, recomenda-se colocar algumas toalhas absorventes na base da caixa transportadora para xixis e cocos acidentais.

Tome cuidado com as áreas de circulação de ar da caixa, não as deixando cobertas. Assim você evita que o transporte fique superaquecido e sufoque o seu bichano. Não dê comida ou água para ele um pouco antes de uma viagem breve, já que bexiga cheia faz com que o seu companheiro se sinta desconfortável. “Leve água da torneira de casa, pois tem um gosto mais familiar para o animal. A viagem causa certa confusão ao gato, portanto, ele pode não querer beber outra água”, finaliza Ceres Faraco. 

 
  • GUIA DE CRIADORES DE GATOS

Encontre criadores de diversas raças.