Como cuidar dos pets no verão e evitar a hipertermia

Categoria: Saúde

Autor(a): redação Pulo do Gato | Colaborador(es): Jornalismo Top.Co | Cidade: Campinas/SP | 06/03/2019 - 13:54

Em dias quentes, é preciso redobrar a atenção para proteger e manter a saúde dos pets
bruev/iStock.com

bruev/iStock.com

Assim como nós, os cães e gatos também sofrem com os efeitos do calor excessivo no verão. Felinos lidam melhor com o calor que os cães, por terem evoluído como animais do deserto.  Porém, isso não exclui os riscos de superaquecimento na espécie.

O principal risco para os pets é a hipertermia, que ocorre quando a temperatura corpórea passa dos 40ºC. Os sintomas, que normalmente podem parecer corriqueiros, são identificados por uma respiração ofegante, vômitos, diarreias, salivação abundante, tonturas e, em casos extremos, confusão mental, desmaios e convulsões. “Além do calor excessivo, esse contratempo está relacionado também a exposição solar em altas temperaturas, excesso de exercícios físicos e a obesidade, sendo que é normal no verão os cães terem um comportamento menos ativo durante o dia”, explica o veterinário Jorge Morais, fundador da Animal Place. Donos de raças como Pug, Persa, Buldogues e Shih Tzu, provavelmente já se depararam com essa situação, que segundo o especialista, pode levar o bicho a uma parada cardíaca se não tomadas as precauções necessárias.

Ainda segundo o Dr. Morais, a tosa como medida de prevenção ao calor pode ser um risco, visto que os pelos protegem o pet tanto do frio quanto do calor. Até animais de pelo mais curto não devem ser tosados, pois esse procedimento prejudica o mecanismo natural de compensação térmica deles.


vvvita/istock.com

Os cães regulam sua temperatura através da língua e os gatos através das almofadas plantares, diferente dos humanos que possuem glândulas sudoríparas. Entretanto, assim como os cães, os gatos também ficam ofegantes para se resfriar. Mas fique atento! Se seu felino ficar ofegante, corra para socorrê-lo, pois é algo muito perigoso. Ainda mais se estiver também com falta de coordenação, vermelhidão na mucosa, até convulsão, pois pode indicar insolação. Coloque-o em local mais fresco, molhe o pelo dele com água gelada, ofereça água para que beba, e leve-o ao veterinário, pois ele pode morrer. “Caso perceba algum dos sintomas de hipertermia no seu pet, coloque-o sobre ele uma toalha molhada para que a temperatura corpórea diminua e o leve imediatamente ao veterinário”, acrescenta Dr. Morais.

Outra dica, para quem tem cão ou passeia com o gato, é evitar sair com o animal nas horas mais quentes do dia, optando por locais arejados para que ele possa descansar e oferecer petiscos gelados para refrescar. Andar com água e vasilhame é também fundamental durante as caminhadas.
Não deixe os pets trancados no carro durante o verão. Isso também pode causar insolação do animal.
  • GUIA DE CRIADORES DE GATOS

Encontre criadores de diversas raças.