Cuidado! Gatos também podem ter conjuntivite

Categoria: Saúde

Autor(a): Myrian Teixeira e Cristiano Rodrigo da Silva | Colaborador(es): Jornalismo Top.Co | Cidade: Campinas/SP | 12/11/2018 - 17:55

Observe se o felino está com os olhos coçando e avermelhados, pois esses são os principais sintomas
2002lubava1981/iStock.com

2002lubava1981/iStock.com


2002lubava1981/iStock.com


A conjuntivite pode ser adequadamente caracterizada como uma inflamação na conjuntiva, que é uma membrana que constitui o olho. Os gatos, assim como nós, podem ser acometidos por conjuntivites. Esse quadro traz bastante incômodo e pode provocar até úlceras de córnea, caso os olhos sejam coçados. Por isso a doença é considerada séria pela Medicina Veterinária. Este artigo tem como objetivo informar ao leitor os principais sinais clínicos encontrados na conjuntivite em gatos e suas
principais causas. Convém ressaltar que um profissional deverá ser consultado nos casos suspeitos. Atualmente, na Veterinária, já contamos com profissionais especializados em Medicina Felina e também em Oftalmologia, que poderão diagnosticar a doença e prescrever o tratamento mais adequado.


Entenda melhor
A conjuntiva ocular é uma membrana que recobre a superfície interna das pálpebras. Nela, há algumas células especializadas que ajudam a produzir os componentes da lágrima que, por sua vez, apresenta função protetora e de lubrificação nos olhos, daí sua fundamental importância. Essa membrana conjuntiva pode inflamar e, então, teremos instalado um quadro de conjuntivite.
 
O que é?
A conjuntivite é uma condição bastante comum nos gatos, podendo ser unilateral ou bilateral. Esse quadro clínico é caracterizado por uma inflamação da conjuntiva e, na espécie felina, pode ter várias origens, como causas infecciosas, alérgicas, injúrias químicas e térmicas, por corpo estranho, por alterações anatômicas e até em função de deficiência na produção de lágrimas.
Dentre as causas infecciosas de conjuntivite, podemos citar as virais, as bacterianas e também as fúngicas, sendo a última de incidência menos usual. O herpesvírus felino tipo 1 é um agente viral bastante comum entre os gatos e causa conjuntivite com frequência nesses pacientes.
Esse vírus tem uma característica de latência, ou seja, ele pode permanecer no paciente sem manifestar sintomas, contudo, em eventos que provo- quem estresse e imunossupressão nos gatos, tais como mudanças de ambiente, viagens, introdução de outros animais de estimação, uso de drogas como os corticoides, etc., o herpesvírus pode se manifestar provocando conjuntivite, ceratite (inflamação da córnea) e até rinite. Outro agente infeccioso relacionado às conjuntivites felinas é o Chlamydia psittaci.
Nesse caso, a inflamação tende a ser unilateral no início da infecção e, após uma semana, ocorre o envolvimento dos dois olhos. Uma característica comumente evidenciada é a presença de edema de conjuntiva (quemose) bem acentuado, que causa grande desconforto para os gatos. O Mycoplasma felis também podem causar conjuntivite ocasional no paciente felino, contudo o potencial patogênico desse organismo é autolimitante, ou seja, tende a ter cura espontânea.
Outra causa comum de conjuntivite é a alergia. Ela pode acometer os bichanos após o contato de alérgenos com a membrana conjuntiva. Esses alérgenos po- dem estar relacionados ao o uso de medicamentos tópicos ou a venenos de insetos.
Também pode ser citada como causa de conjuntivite em gatos a irritação provocada por certos elementos físicos, comumente encontrados em todos os lugares. São eles: a poeira, a areia higiênica, a fumaça e o cimento.
Gatos que apresentam maior exposição do globo ocular, como Persas, também estão mais propensos à conjuntivite.
 
Olhinhos coçando
Os sinais clínicos mais observados nos pacientes felinos com inflamação conjuntival são: presença de prurido (coceira), hiperemia (coloração mais avermelhada), lacrimejamento, secreções oculares que variam de serosas a purulentas e edema.
Os gatos são verdadeiros lordes e, por isso, são extrema- mente sutis nas manifestações clínicas. Logo, sinais tênues de desconforto ou presença de secreção ocular devem motivar os tutores a procurar atendimento veterinário especializado para uma avaliação completa e determinação das medidas terapêuticas adequadas para tratamento.
Contudo, o tutor pode adotar medidas para a prevenção das conjuntivites em gatos, principal- mente daquelas relacionadas às causas infecciosas, isto é, as provocadas por herpesvírus felino e clamídia.
 
Como evitá-la?
Para evitar o aparecimento de conjuntivites, o tutor deve manter a vacinação dos gatinhos de estimação em dia. Outro cuidado que pode ser valioso nessa prevenção é evitar o contato de xampu com os olhos ou o uso direto de secador neles. Produtos de qualidade comprovada no banho e tosa devem sempre ser escolhidos. Nos casos de conjuntivite alérgica, torna-se importante descobrir o que causa alergia nos gatinhos e evitar contato com tais agentes irritativos como vento, poeira, areia higiênica e tantos outros.
O tratamento das conjuntivites deve ser prescrito por um médico veterinário e, na maioria das vezes, é feito com colírios. Contudo, os casos mais graves, como úlceras de córnea profundas, podem necessitar até de intervenções cirúrgicas. Os gatos são seres muito especiais e merecem todo o nosso cuidado e dedicação. Assim, um ambiente amigo, um manejo confortável e um profissional especializado faz toda a diferença na vida desse paciente!
 
 
Cristiano Rodrigo Nicomedes da Silva

Medicina Felina - Gato Leão Dourado Professor de Clínica Cirúrgica e Anestesiologia - Fepi Itajubá Diretor da Academia Brasileira de Clínicos de Felinos - ABFel clinicagatoleaodourado@gmail.com
 
 
Myrian Kátia Iser Teixeira
Medicina Felina - Gato Leão Dourado Diretora da Anclivepa Minas e presidente da Academia Brasileira de Clínicos de Felinos - ABFel
www.gatoleaodourado.com.br


 

  • GUIA DE CRIADORES DE GATOS

Encontre criadores de diversas raças.