Displasia coxofemoral: sim, felinos também podem ter essa doença!

06/01/2020 - 10:19

Entenda quais são as causas, sintomas e opções de tratamento para o gato displásico
Foto meramente ilustrativa: koldunova/iStock.com

Foto meramente ilustrativa: koldunova/iStock.com

Ela pode não ser uma das doenças mais comuns em felinos, porém, a displasia coxofemoral (DCF) merece atenção dos gateiros uma vez que é um problema que pode sim afetar os felinos, embora seja mais comum em cães. Quando a displasia acomete gatos, é mais difícil de ser diagnosticada, podendo se manifestar silenciosamente e ter seus sintomas confundidos com outras enfermidades. Isso acontece porque os gatos podem ter comportamento mais discreto em relação à dor, se comparados aos cachorros. “O gato pode ficar mais tempo deitado, comer menos ou beber menos água e até deixar de subir em móveis”, afirma o veterinário João Augusto Leonel de Souza, proprietário do Serviços Especializados em Neurologia e Ortopedia Veterinária (Senov), de São Paulo-SP.  

Assim como em cães, não existe uma idade ou sexo em que a doença é mais comum, porém cães e gatos de raça são mais comumente diagnosticados com a enfermidade, já que não é comum realizar controle genético ou exames de rotina em animais sem raça definida. “Nos felinos é mais evidente a ocorrência em raças como Persa e Maine Coon”, exemplifica João Augusto. 

 

O QUE É?

A displasia coxofemoral é uma alteração ortopédica causada por uma incongruência ou desencaixe da articulação (chamada coxofemoral) localizada no quadril, que conecta o fêmur (osso mais longo do corpo) ao quadril. Quando a cabeça do fêmur não encaixa corretamente no acetábulo, que é a cavidade existente no quadril, ocorrem alterações da articulação e deformações nos ossos, o que caracteriza a doença. 

Essa alteração ortopédica pode estar relacionada ao desenvolvimento ou crescimento anormal da articulação do quadril. “Dores na região do quadril, artrose, manqueira, atrofia muscular e dificuldades para deitar, levantar e andar são algumas das consequências da doença”, explica Ricardo S. Lopes, proprietário da Fisio Care Pet e Rede Pet Fisio, de São Paulo-SP, e palestrante no congresso N.O.R. Science. 


https://www.revistapulodogato.com.br/loja/edicao-134-janeiro-fevereiro-2020-2751.html
  • GUIA DE CRIADORES DE GATOS

Encontre criadores de diversas raças.