Suplementos sob medida para a saúde felina

30/08/2017 - 10:20

Gatinhos com déficit nutricional exigem dieta balanceada e suplementação indicada por médico veterinário
Ukususha/iStock.com

Ukususha/iStock.com

Uma dieta equilibrada é fundamental para manter a saúde dos felinos. Em certos casos, porém, uma ração de qualidade não é o suficiente para suprir as necessidades do gato. Nessa situação de déficit nutricional, são indicados os suplementos alimentares que devem ser oferecidos apenas com orientação de um médico veterinário. No mercado, há muitas opções, diferenciadas não apenas por sua função, mas também por sua apresentação. “Podem ser líquidos, pasta, cápsulas, comprimidos ou pó”, diz a médica veterinária Vivian M. Castellani.

Marcio Antonio Brunetto, médico veterinário e professor do Departamento de Nutrição e Produção Animal da Universidade de São Paulo (USP), destaca que a suplementação vitamínica e mineral é indicada, no caso dos pets saudáveis, quando os felinos se alimentam com dietas caseiras. “Nessa situação a suplementação é obrigatória, uma vez que a composição em ingredientes da dieta muitas vezes não consegue atender às necessidades de minerais e vitaminas dos gatos”, enfatiza. “Segundo associações importantes que realizam estudos e divulgam diretrizes de recomendações nutricionais como o National Research Council - Nutrient Requirements of Dogs and Cats (NRC), The European Pet Food Industry (FEDIAF) ou a The World Small Animal Veterinary Association (WSAVA), a forma de manejo nutricional e alimentar mais segura é o emprego de um alimento comercial de boa qualidade em todas as fases da vida do gato”, conclui Marcio.

Stephanie de Souza Theodoro, médica veterinária mestranda em Clínica Médica com ênfase em Nutrição de cães e gatos acrescenta que certas doenças tornam o suplemento necessário, mesmo quando a dieta é balanceada. Dentre elas, a doença renal crônica, suplementada com hidróxido de alumínio (e, às vezes, também potássio), e diarreias crônicas, que demandam fibras e vitamina B12. “Em situações em que há presença de processos inflamatórios como câncer, obesidade, osteoartrites (enfermidade que, com o tempo, leva ao desgaste da cartilagem que protege a extremidade dos ossos longos), desordens cardíacas, entre outros, pode-se suplementar com ômega 3.”
 

Saiba mais adquirindo a edição 117 da revista Pulo do Gato, através do link

 
http://www.revistapulodogato.com.br/nossas-revistas
  • GUIA DE CRIADORES DE GATOS

Encontre criadores de diversas raças.