11 passos da guarda responsável de felinos

08/09/2016 - 15:40

Para não acontecer o abandono, tenha certeza de que a família possui disponibilidade para cuidar do gato
 iStock @ Kirill Vorobyev

iStock @ Kirill Vorobyev

Ter um animalzinho de estimação é muito bom, seja gato, cachorro, peixe, calopsita. Eles são uma ótima companhia, quando filhotes são muito fofinhos e adoráveis. Mas adquirir um animal é muito mais do que apenas brincar e desfrutar de momentos de alegria e amor. Ter um pet é como ter um filho, é responsabilidade para uma vida inteira.

Apesar de muitas campanhas falando sobre guarda responsável, muitas pessoas ainda não entendem muito bem o que isso significa. Por isso vamos tentar esclarecer essa ideia e divulgá-la com a ajuda de nossos leitores. 

Pense antes de comprar ou adotar o felino
Devemos ter em mente que um animal não deve ser adotado ou comprado por impulso. O fato de a criança da casa estar insistindo em ter um animal de estimação porque o coleguinha tem não é um motivo bom o suficiente. Ela provavelmente não cuidará do animal e a responsabilidade cairá sobre os pais, que muitas vezes não têm tempo para dedicar ao pet. Outro motivo bastante comum é a pessoa ficar encantada com a beleza da raça e não levar em conta o comportamento mais ativo dos exemplares ou até mesmo um miado mais insistente que acaba por irritar os tutores. 

Se encontrar um gato perdido na rua e não puder cuidar com bastante dedicação é melhor deixá-lo em uma ONG para outra pessoa com mais disposição adotá-lo. Então, antes de agir impulsivamente, caso a família decida adquirir um bichinho de estimação, lembre dos seguintes pontos:


Saiba mais adquirindo a edição 105 da revista Pulo do Gato, através do link

http://www.revistapulodogato.com.br/nossas-revistas
  • GUIA DE CRIADORES DE GATOS

Encontre criadores de diversas raças.