Meu gato não bebe água.

Entenda a importância de estimular seu gato a se hidratar mais e confira dicas de como fazê-lo.

Imagem Ri Haij por Pixabay

Os gatos domésticos são animais descendentes dos felinos selvagens dos quais herdaram características como a adaptação ao ambiente desértico, onde há escassez de água. Por essa razão, não é novidade dizer que gatos bebem pouca água. Mas mesmo se tratando de uma característica inerente à espécie, ela pode trazer prejuízos aos felinos. Para evitar problemas de saúde em seu amado gatinho, convém estimulá-lo a beber mais água, mas a tarefa pode não ser tão simples assim. Veja a seguir.

Importância da água

Para todo os seres, a água exerce importante papel na manutenção da vida. Para seu gatinho não é diferente: quase 70% do seu peso corporal é composto por água. Ela participa de reações e metabolismos celulares, permitindo a estabilidade do organismo e de todos os seus sistemas. O consumo voluntário de água está relacionado com o nível de atividade física, dieta, ambiente e saúde do seu gatinho. Já a perda de líquidos corpóreos envolve a produção de urina, fezes, transpiração e até mesmo a respiração. É sabido que a desidratação, isto é, falta de água no corpo, pode acarretar enfermidades metabólicas e também aquelas relacionadas ao trato urinário dos felinos. Portanto, os mecanismos de ingestão e eliminação de água são muito importantes e necessários para a boa saúde do seu amigo.
A água também tem importante papel na formação da urina, que é produzida pelos rins a partir da filtragem do sangue e excreta os elementos que não são benéficos ao organismo. Os rins também são responsáveis pela produção de determinados hormônios muito importantes que controlam vários parâmetros, entre eles a pressão arterial, o equilíbrio eletrolítico (balanço adequado dos níveis de sódio, potássio, cálcio e fósforo no sangue) e consequentemente a hidratação do indivíduo. Portanto, esse importante órgão precisa estar em pleno funcionamento. A unidade funcional dos rins (estrutura principal) se chama néfron e os felinos naturalmente apresentam um número mais reduzido dessas estruturas. Assim, eles concentram mais a urina e consequentemente acumulam mais sedimentos formadores de cálculos ou pedras, apresentando, portanto, maior tendência a enfermidades renais do que nós e cães. Por isso a ingestão de água é tão importante para os gatinhos na atualidade. Com menos água e menos néfrons, a tarefa de filtrar o sangue fica prejudicada. Portanto, mesmo que o felino possua menos néfrons, se beber a quantidade adequada de água, não terá a função renal de filtrar o sangue tão comprometida.

Imagem de Suju-foto por Pixabay

Dieta do bem

A oferta de ração úmida (sachê ou lata) como fonte principal de alimento é atualmente reconhecida como artifício principal para aumentar a ingestão de água pelos felinos, pois contém aproximadamente 80% de água, quantidade muito superior aos 10% das rações secas. Desta maneira, gatos que se alimentam de ração úmida naturalmente podem beber menos água, pois já a recebem no alimento.

Escolha do bebedouro

Os gatos têm preferências bem particulares quando o assunto é beber água: gostam dela sempre fresca e limpa. Então ofereça-a em vasilhas de materiais como cerâmica, vidro ou louça, pois eles conservam a água sempre fresquinha, do jeito que seu amigo gosta.
Quer uma boa sugestão? Um simples prato fundo de alimentação humana (sim, um prato de sopa) pode ser uma ótima saída. E você pode usar um lindo tapetinho sob o prato para decorar. Evite as vasilhas plásticas, já que elas podem imprimir gosto na água, fazendo com que a oferta não seja atrativa. Uma tarefa importante é a limpeza diária dessas vasilhas, isto é, lavar os potes diariamente com água e sabão neutro e romover a troca constante da água. Esse cuidado evita enfermidades e a proliferação de mosquitos envolvidos em epidemias como a dengue, Zika vírus e Chikungunya.
Ao contrário dos cães, seu gatinho não vê vantagem nenhuma em ter sua vasilha de água ao lado do potinho de comida. Por serem animais curiosos, dinâmicos e aventureiros, os felinos gostam de ter diversas opções de oferta de água. Por isso, espalhar algumas vasilhas de água em vários locais de fácil acesso pela casa é uma ótima ideia. Lembre-se: seu gatinho é um explorador nato.

Foto de Pam Carter por Pixabay

Dicas e truques

Veja algumas estratégias que vão te ajudar a estimular a ingestão de água:

• Fontes de água: Muitos felinos preferem se hidratar em água corrente. Nesses casos, o uso de fontes de água corrente com filtro estão superindicadas. Além de evitarem o desperdício, elas atendem a preferência daquele bichano que adora beber água corrente direto da torneira. Ele também terá oferta de água o dia todo, não apenas no momento em que você abrir a torneira. Procure adquirir uma fonte silenciosa, nada de motores potentes e ruidosos que afugentariam seu amigo. Realize a manutenção diariamente, deixando o recipiente e filtros sempre livres de sujidades. Coloque-a em um lugar seguro para evitar quedas ou acidentes elétricos.
Vale lembrar que os locais de oferta de água devem sempre estar longe das caixinhas de areia, pois felinos não gostam de misturar suas necessidades com alimento ou água

• Diversão: Para aquele gatinho preguiçoso, que acha que água não tem graça nenhuma, alguns truques podem deixar a hidratação um pouco mais divertida. Um deles é colocar pedrinhas de gelo na vasilha, pois, ao brincarem com os gelinhos, os gatos acabam ingerindo uma boa quantidade de água. Não se preocupe com a temperatura gelada, que não fará mal à saúde dele. Para gatinhos saudáveis, que não sejam portadores de doença renal, porém exigentes, você pode colocar pedrinhas de gelo na água da lata de atum (apenas os que vêm ao natural em
água, sem óleos ou molhos). Coloque a água do atum em forminhas de gelo, congele-as e faça como na dica dos gelinhos. O aroma e o paladar da água serão atrativos para seu companheiro.

• Vasilha transparente: Outra dica para deixar essa “missão hídrica” mais lúdica é colocar uma vasilha transparente (de vidro) com água sobre um pequeno espelho plano. Ao se aproximar, o bichano enxerga seu reflexo no fundo da vasilha, ficando curioso e interessado. Então, ele aproveita para dar lambidinhas na água. Para esta dica, vasilhas de inox também podem funcionar.

• Bigodinhos sensíveis: Também chamados de vibrissas, essas estruturas táteis são muito sensíveis e úteis para os gatinhos, servindo para dimensionamento e consciência de espaço corporal. Exatamente por serem tão sensíveis, gatos não gostam de encostá-las nas bordas das vasilhas ao beberem água. Portanto, potes e vasilhas largas são as preferidas deles.

Mão à obra!

Agora que vocês já estão muito bem informados sobre os requerimentos dos felinos e sobre como deixar a ingestão de água mais divertida e agradável para seu gatinho, mãos à obra para aplicar as diversas dicas oferecidas.

Nossos agradecimentos à Cynthia Bergamini. Médica veterinária de pequenos animais com especialização em felinos pelo Instituto Equalis de pós-graduação, de São Paulo-SP.
cynbergamini@hotmail.com


Agradecemos


Clique aqui e adquira já a edição 141 da Pulo do Gato!