9 descobertas científicas sobre a espécie felina

Foto: nataka/iStockphoto.com


Investigamos curiosidades e dados valiosos que pesquisadores têm revelado sobre os incríveis gatos domésticos

Gatos são animais ainda pouco compreendidos por nós. E bem menos estudados que os cães. Isso acontece, em parte, por sua domesticação ter sido mais recente que a dos cães. Por outro lado, segundo explica Carlo Siracusa, professor de comportamento na Escola de Medicina Veterinária da Universidade da Pennsylvania, os poucos estudos relacionados aos gatos também estão ligados ao fato de que há poucas expectativas em relação ao comportamento felino. “Se um cão late muito e incomoda os vizinhos, o dono procura por ajuda para resolver esse problema comportamental. Mas, se um gato se esconde quando chega uma visita, ninguém se importa”, exemplifica. Além disso, Carlo também destaca que gatos domésticos não desenvolveram comportamentos sociais tão complexos quanto cães pelo fato de seus ancestrais serem animais de vida solitária e não gregários. “Por isso é mais difícil interpretar e estudar os felinos, pois o comportamento social deles é, em sua maioria, baseado em contato não prolongado e distanciamento”, aponta. No entanto, esse cenário vem mudando, e Carlo diz que grupos de estudos voltados para o comportamento de felinos têm surgido pelo mundo afora. “Estudos relacionados à cognição dos felinos serão os grandes destaques dessas pesquisas. É muito interessante estudar como os gatos foram atingidos cognitivamente pela domesticação. Isso vai nos ajudar muito a melhorar o ambiente deles em nossas casas e nossa convivência com a espécie”, garante. “É preciso que tutores entendam que gatos não são pequenos cães com baixa manutenção e poucos cuidados. Gatos são gatos”, ressalta o pesquisador. 

Seja bem-vindo(a) leitor(a)!
Ainda não é assinante?

Assine agora e tenha acesso ilimitado a todas as materias de todas as edições da revista Medicina Veterinária em Foco!

Assinar


Clique aqui e adquira já a edição 147 da Pulo do Gato!