Surdez em felinos.

Um dos sinais de que seu gato não ouve é a falta de resposta a estímulos externos, como ruídos, chamados ou assovios.

Imagem Doanme por Pixabay


O felino é um animal com sentidos extremamente aguçados, sendo a audição um dos mais importantes para a vida deles. Em comparação com os humanos, que podem ouvir sons entre 20Hz e 20KHz de frequência, os felinos têm uma audição de alcance entre 48Hz e 85kHz, o que demonstra o quanto esse sentido é essencial para guiar o felino.
A surdez nos gatos é a perda temporária ou permanente da capacidade da audição. Essa condição pode ter inúmeras causas e muitas vezes o diagnóstico pode ser bastante delicado, principalmente se a incapacidade auditiva for parcial, visto que a surdez felina pode ser unilateral, afetando apenas uma orelha, ou bilateral, quando ambas as orelhas são acometidas.
A perda auditiva temporária geralmente está relacionada a infecções bacterianas ou fúngicas ou ao efeito colateral de certas drogas, como antibióticos e diuréticos. Os ácaros da orelha dos felinos podem também ser causa comum de perda de audição temporária, pois promovem inflamação do ouvido médio, lesionando a membrana timpânica. Ainda como causas de surdez temporária, podemos citar condutos bloqueados, presença de fluido, tumores ou pólipos presentes nos ouvidos dos felinos.
Já a surdez permanente pode estar relacionada à senilidade, à exposição contínua a ruídos muito altos, lesões ou infecções crônicas que não receberam tratamento adequado.

Origens da surdez felina

A origem da surdez felina pode estar relacionada às estruturas do ouvido ou à incapacidade no processamento de informações neurosensoriais pelo cérebro. No primeiro caso, dito como condutor, os sons não podem ser conduzidos corretamente desde o ouvido externo ou médio. Geralmente essa condição está associada à surdez temporária e suas causas, acima citadas, muitas vezes parciais e unilaterais. No segundo caso, denominado surdez neurossensorial, há envolvimento do ouvido interno e a surdez geralmente é total. As origens mais comuns de surdez neurossenssorial estão relacionadas a problemas com a hidrodinâmica ou física do ouvido interno, bem como com anormalidades neurológicas.
A surdez felina pode ser também de origem hereditária em muitas raças de gatos e pode estar associada à predisposição genética. Embora a documentação científica que aborda a correlação da surdez felina com suas várias raças seja ainda escassa, estudos revelaram que a surdez felina pode resultar de efeitos do gene branco dominante (W). Notou-se que homozigotos gatos brancos são mais propensos à ocorrência de íris azuis e surdez, unilateral ou bilateral. Ademais, a ocorrência de surdez aumenta com a presença de olhos azuis e gatos de pelo longo têm ainda maior prevalência de olhos azuis e surdez que gatos de pelo curto.
Alguns felinos portadores de surdez podem apresentar dificuldade e comprometimento no relacionamento e nas interações com seres humanos e com outros animais, porém, felizmente, os felinos são animais com grande capacidade de adaptação e muitos desses animais são capazes de viver bem sem o sentido da audição.

Como é diagnosticada?

O exame clínico completo das orelhas e condutos auditivos, com inspeção e otoscopia realizadas pelo médico veterinário, bem como a análise da história clínica e comportamento do paciente são o caminho correto para o diagnóstico preciso da surdez felina. O veterinário irá investigar a presença de infecções, parasitas, inflamação ou lesão. À parte da avaliação clínica, há também um teste indolor para a avaliação da audição denominado BAER (auditivo evocado de tronco encefálico), no qual pequenos eletrodos são colocados na pele para medir a atividade elétrica no cérebro e no ouvido.

Tratamento

O tratamento da surdez felina temporária está diretamente ligado a sua causa e origem. Dessa maneira, assim que identificada a causa da surdez, o veterinário irá determinar e prescrever o método de tratamento adequado para saná-la. Já a perda da audição permanente não pode ser revertida. Porém, vale lembrar que os felinos são animais extremamente adaptáveis e certamente usarão seus outros sentidos para compensar a falta da audição, permitindo que ele possa ter qualidade de vida.

Cuidados com o gato surdo

Foto de nadiye odabasi por Pixabay

Proprietários de gatos com surdez temporária ou permanente devem promover segurança para o pet. Assim, não devem permitir que esses felinos tenham acesso à rua, pois não serão capazes de ouvir o tráfego e outros perigos. Oferecer um lar seguro possibilita uma longevidade maior. Sinos aderidos à coleira de fácil abertura permitem também que eles sejam mais facilmente localizados, até mesmo dentro de casa. Na coleira, devem constar os números de telefone do proprietário, do veterinário responsável e o aviso “Sou um felino surdo”. Além dessas informações, esses animais devem receber o implante de microchip para imediata identificação, caso se percam.
O toque suave no dorso do seu gato é uma boa maneira de avisá-lo que você está por perto. Barulhos de passadas/pisadas também indicam que você está se aproximando, pois a vibração do piso poderá ser sentida pelo gatinho. Brinquedos e bolinhas podem ser ferramentas úteis para chamar a atenção do felino surdo, que certamente teve seu sentido de visão mais apurado. Ainda, gestos e sinais luminosos podem auxiliar na interação entre o proprietário e seu gatinho surdo, promovendo conforto e bem-estar.

Prevenção

Foto de Rebecaml por Pixabay

Primeiramente, a visita periódica ao médico veterinário para check-up anual é muito importante, não apenas para a prevenção da surdez, como também para investigar outras enfermidades que podem ser evitadas quando identificadas e diagnosticadas precocemente. O proprietário pode também realizar regularmente a inspeção das orelhas, observando se elas se apresentam limpas e rosadas. Sob qualquer sinal de alteração, como orelhas inchadas, com descarga ou secreção acastanhada/amarelada, o felino deve ser encaminhado para exame clínico completo. Medicamentos e limpezas otológicas devem ser estritamente administradas e realizadas sob orientação e prescrição veterinária, pois as estruturas dos ouvidos dos felinos são delicadas e podem ser facilmente danificadas.

Reconhecendo um gatinho surdo

Alguns sinais bastante simples podem auxiliar a suspeita de surdez em um felino. Dentre eles, a falta de resposta a estímulos externos, como ruídos altos, chamados ou assovios. Geralmente esses felinos não viram as orelhas na direção dos sons. O felino surdo pode por vezes parecer estar desorientado. Muitas vezes, o gato não percebe a presença do dono até que seja tocado, ou que alguém chegue bem perto. Com frequência, esses gatinhos são difíceis de despertar. Enfim, cabe observar regularmente o comportamento de seu felino e, em caso de suspeita de perda auditiva, procure a orientação do seu médico veterinário

Agradecemos Cynthia Bergamini Médica veterinária na clínica Panda em Sousas-SP, graduada em medicina veterinária ; pos graduada em cirurgia de pequenos animais pela European School of Veterinary Post Graduation – Reino Unido ; master em urgências e Medicina interna de pequenos animais pela Asociación Española de Veterinaria aplicada de Madrid.

Referência de apoio August, J. R.; “Consultations in Feline Internal”.
Bergsma, D.R. & Brown, K.S. (1971).
“White fur, blue eyes, and deafness in the domestic cat. Journal of Heredity “.
Crystal, Mitchell A.; Grace, Sharon Fooshee; Norsworthy, Gary D. “O Paciente Felino”.
Little, S. “The Cat: Clinical Medicine and Management”.


Clique aqui e adquira já a edição 141 da Pulo do Gato!