Mamães Felinas, cuidados na gestação.

Gatinhas também precisam de atenção quando estão prenhas

Imagem Ermaltahiri por Pixabay

Gatas gestantes precisam de cuidados especiais. Se sua gatinha apareceu prenhe, neste artigo você saberá como cuidar melhor dela. Após o parto, não se esqueça de castrar sua gatinha para que não tenha mais ninhadas indesejadas.
Não é necessário restringir as atividades das mamães gatas, mas deve-se definitivamente mantê-las dentro de casa. O exercício moderado, como andar pela casa, é benéfico para prevenir o ganho de peso excessivo, ajuda no tônus muscular e evita o sedentarismo. As escaladas são perigosas no final da gravidez (últimos 20 dias), já que o peso do útero altera o centro de gravidade e o equilíbrio do corpo.
Vacinas e a maioria dos medicamentos, desparasitantes (vermífugo, medicação para pulga e outros), hormônios e antibióticos devem ser evitados na gravidez. Se houver necessidade, convém utilizar apenas fármacos permitidos para gatas prenhes ou lactantes. A seguir, veja mais dicas.

Alimentação diferenciada

A gata prenhe possui necessidades nutricionais diferentes e sua alimentação durante toda a gestação deve ser, de preferência, de boa qualidade. Isso significa que ela deve consumir rações super premium. Com uma alimentação balanceada, a futura mamãe não corre risco de adoecer e não precisará de suplementos vitamínicos e minerais, ao passo que os filhotes crescem e ganham peso até o dia do parto. Aliás, os suplementos vitamínicos e minerais só podem ser usados sob orientação veterinária e em casos de gatas que estão se recuperando de alguma doença aguda ou que não conseguem ganhar o peso necessário durante a gravidez.
Evite dar guloseimas e alimentos de humanos para que a gravidez seja bem-sucedida e saudável, já que gatas com excesso de peso e com deficiências alimentares podem ter filhotes com problemas de saúde e outras complicações, como dificuldades durante o parto. Podem, inclusive, se tornar incapazes de cuidar adequadamente da ninhada devido ao estresse nutricional ocorrido durante a gestação.

Falta de apetite

A gata pode perder o apetite uma ou duas semanas antes do parto, o que é normal, pois o abdome está bastante grande em função do crescimento do útero, dificultando a ingestão de alimentos na mesma proporção de antes. Para alimentá-la nessas situações, várias pequenas refeições devem ser fornecidas ao longo do dia.

Exames importantes

A primeira visita pré-natal deve ser agendada de duas a três semanas após o acasalamento.
O exame físico da futura mãe é fundamental. Em especial, deve ser feita a observação das glândulas mamárias, uma vez que é primordial para o processo de amamentação dos filhotes. O exame de sangue, como hemograma, e alguns exames bioquímicos são importantes para avaliação do estado geral. Exames de imagem como o ultrassom também são efetivos para detectar a gravidez desde o início e verificar, por exemplo, o batimento cardíaco fetal. Esse exame também permite verificar se a gravidez é verdadeira ou falsa, excluindo a hipótese de complexo hiperplasia endometrial cística, conhecido também como piometra, ou falsa gravidez, que confunde alguns tutores quando diagnosticada tardiamente. A radiografi a do abdome detecta o número de fetos apenas após 43 dias de gestação.
Fique atento, as intercorrências geralmente acontecem em torno de 45 dias de gestação. Os sinais clínicos como descarga vaginal amarronzada, morte embrionária precoce com reabsorção, aborto e/ou filhotes nascidos fracos pode ser indicativo de infecção bacteriana. Os gatos geralmente são mais resistentes a determinadas bactérias transmitidas pelas vias sexuais que os cães.

Foto de Quang Le por Pixabay

No fim da gestação

Na semana antes do parto, deve-se agendar outra consulta para um check-up na gata prenhe. Na ocasião, é importante discutir com o veterinário qual tipo de parto (natural ou cesária) é o mais indicado, quais os sinais de potenciais problemas antes do parto, e as instruções para o cuidado dos
recém-nascidos. Certifique-se de perguntar onde você pode obter o serviço de emergência 24 horas, caso seja necessário.

Comportamento

As mudanças comportamentais como maior docilidade ficam evidentes durante o último terço da gestação. Na semana que precede o parto, a fêmea procura área escura, seca e tranquila. Pode escolher um único esconderijo para a ninhada, ou, caso tenham outras fêmeas gestantes no grupo, podem compartilhar um ninho comum. A seleção precoce do local do ninho é necessária para que este absorva o odor da fêmea. A cama do dono como local do parto é utilizada quando a fêmea prefere a companhia do tutor neste momento tão importante. Na semana do parto, a gata passa a maior parte do tempo se auto-higienizando, em especial, nas regiões mamárias e perineal para o aumento da sensibilidade cutânea nas regiões.

Importante saber que: Os gatinhos podem nascer de 63 a 69 dias, mas no acasalamento bem-sucedido os filhotes nascem com 65 dias. Filhotes que nascem antes de 60 dias são imaturos para sobreviver. É seguro reproduzir a gata com 12 a 18 meses de idade, quando ela está fisicamente e emocionalmente madura para cuidar dos filhotes. A quantidade de vezes que a gata pode gestar depende do tamanho de suas ninhadas, do seu estado de saúde e nutrição, e também da forma como cuida dos filhotes. Gatas de porte médio geralmente geram de quatro a seis gatinhos por ninhada e, ainda, são capazes de produzir até três ninhadas por ano, apesar de ser fisicamente desgastante.

Agradecemos Guadalupe Ferreira Médica veterinária especialista em Clínica Médica de Felinos Doméstico Unesp/Jaboticabal


Agradecemos


Clique aqui e adquira já a edição 141 da Pulo do Gato!