Alimento seco ou úmido: qual a melhor opção?

Foto: Nynke van Holten/iStockphoto.com

 

Segundo veterinários, ambas as opções são completas e possuem todos os nutrientes que os pets precisam, então, como fazer essa escolha?

Muitos tutores de gatos têm dúvidas na hora de escolher o alimento do pet. Felinos apresentam características nutricionais inerentes à sua espécie e, por isso, é preciso cuidado ao montar seu planejamento alimentar. “Gatos se originaram no deserto, ingerem pouca água, ‘aprenderam’ a concentrar a urina, são carnívoros estritos e possuem características metabólicas que tornam suas necessidades proteicas de duas a três vezes maiores do que as do cão”, pontua a veterinária Vanessa Zimbres, sócia-proprietária da clínica Gato É Gente Boa. Mesmo tendo maior necessidade de ingestão proteica, por serem carnívoros estritos, os gatos possuem plena capacidade de absorverem carboidratos como forma de energia, aponta Flavio Lopes da Silva, médico-veterinário mestre em Nutrição de Cães e Gatos pela UNESP-Jaboticabal.

Ração seca ou úmida?

Segundo veterinários, tanto as rações secas como as úmidas são balanceadas. “No geral, os dois alimentos oferecerão nutrientes adequados para as necessidades de manutenção diárias do gato. Considerando o consumo de marcas confiáveis no mercado, não há contras para esses dois tipos de alimentos. Contudo, é importante que o tutor, junto de seu veterinário, faça uma checagem, verificando se o alimento escolhido é realmente completo”, alerta Flavio.

O alimento úmido pode, perfeitamente, ser combinado ao alimento seco, seja na mesma refeição ou de forma alternada, desde que tenham os mesmos objetivos nutricionais. “Esta é a maneira ideal de oferecer uma dieta completa e balanceada e auxiliar no controle do peso”, ressalta a veterinária.

Segundo o veterinário Yves Miceli, mestre em Alimentação e Nutrição Animal pela Universidade de São Paulo, por apresentar uma concentração maior de água, o alimento úmido pode trazer benefícios como uma melhor manutenção hídrica para animais que têm por hábito uma baixa ingestão de água, hidratando gatos mais velhos ou com tendência à formação de cristais/cálculos no trato urinário. “Caso o gato se alimente exclusivamente de alimento úmido, pode aumentar a excreção de urina e favorecer a prevenção de cálculos urinários”, reforça Flavio. Outras situações em que a oferta exclusiva de alimento úmido se torna uma necessidade, aponta Flavio, são nos casos de doenças em que o animal precisa de um alimento mais palatável para ser encorajado a se alimentar. “Porém, para se oferecer esse alimento de forma exclusiva ao gato filhote, adulto ou idoso, ele deve ser completo e balanceado, ou seja, essa informação deve estar escrita no rótulo. Caso não seja, ele não pode ser oferecido como alimento exclusivo”, alerta Flavio. Porém, alimentar o felino exclusivamente com a ração úmida pode ser mais oneroso ao tutor. “Como o alimento úmido possui mais água, o volume de alimento oferecido ao pet diariamente será bem maior, visto que a água é um diluidor de calorias. Dessa forma, é bem provável que uma alimentação à base de úmido seja mais cara do que com o alimento seco”, explica Flavio.

Vanessa também ressalta que gatos procuram diferentes experiências sensoriais instintivamente, e, por isso, a diversidade de texturas torna o momento de comer mais agradável para eles. E isso, deve ser estimulado desde cedo. Flavio aponta que o oferecimento de alimento úmido para gatos filhotes já é um consenso entre profissionais, pois felinos devem ser apresentados a novas texturas de alimentos o quanto antes. “Assim o pet não terá nenhuma surpresa quando for apresentado a um novo alimento quando adulto”, reforça Flavio.

MIX FEEDING

Para os tutores que optarem pelo chamado mix feeding, ou seja, a oferta dos dois alimentos de forma concomitante, Flavio faz um alerta: “E isso deve ser feito com muita cautela, pois a quantidade calórica para cada indivíduo deve ser única. Por exemplo, se temos um gato castrado pesando 4 kg, ele precisa de 190 Kcal por dia. Se eu fizer um mix feeding de 50% de alimento seco e 50% de alimento úmido, eu preciso oferecer 95 Kcal provenientes de alimento seco e 95 Kcal de alimento úmido. Dessa forma, eu garanto que vou oferecer a quantidade de energia para a manutenção diária sem risco do animal perder ou ganhar peso”, detalha Flavio.

OFERECER SÓ RAÇÃO

Flavio aponta que alimentar bem o felino somente com ração seca é possível. Mas nesse caso, o tutor deve buscar ajuda de um profissional para fazer o cálculo da necessidade de manutenção diária do gato e saber quantas calorias serão demandadas por dia e, consequentemente, a quantidade de alimento diária. “É importante sempre deixar potes de água espalhados pela casa para maior ingestão hídrica, visto que o alimento seco normalmente tem no máximo 12% de umidade”, alerta.

CONDIÇÃO DE CADA PET

Também é importante levar em consideração alguns fatores que dizem muito sobre as necessidades nutricionais dos animais, como idade, sexo, tamanho, estilo de vida e saúde. De acordo com Vanessa, os nutrientes fornecidos na dieta são essenciais para as funções vitais do organismo. “Cães e gatos apresentam necessidades de ingestão de 45 nutrientes diariamente. O ideal é que os tutores conversem com um médico-veterinário para saber qual alimento é mais indicado para sua condição”, reforça Vanessa. “A melhor nutrição para os pets é a que atende suas necessidades de acordo com sua espécie, idade, estado fisiológico, estado de saúde, modo de vida e atividade física. Não podemos humanizar a nutrição dos nossos pets”, finaliza Yves.

 

Agradecimentos:

FLAVIO LOPES DA SILVA
Médico-veterinário pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) e mestre em Nutrição de Cães e Gatos pela UNESP-Jaboticabal. É supervisor de capacitação técnico-científica de empresa do setor pet food

VANESSA ZIMBRES
Especializada em Medicina Felina e sócia-proprietária da clínica Gato É Gente Boa, de Itu-SP, clínica do interior paulista premiada com selo Cat Friendly Practice® em grau ouro

YVES MICELLI
Mestre em Alimentação e Nutrição Animal pela Universidade de São Paulo (USP) – Campus Pirassununga-SP

{PAYWALL_FIM}

Clique aqui e adquira já a edição 142 da Pulo do Gato!