Vômito: sintoma em gatos exige atenção

Foto: sazonov/iStockphoto.com

Por causa da regurgitação e bolas de pelo comuns na espécie, muito tutores não se preocupam com o indício, mas ele pode representar situações mais graves

Graças ao comportamento de limpeza das suas lambidas, gatos podem acumular pelos no sistema digestivo, formando as bolas de pelo (os tricobezoares), que saem através de vômitos. Ao encarar esse processo com normalidade, tutores podem deixar de prestar atenção a um indicativo de que algo grave pode estar afetando a saúde do seu pet.

Regurgitação, bolas de pelo e vômitos

 A regurgitação é quando o animal não digere o alimento e o coloca para fora. “Isso pode acontecer se ele simplesmente comer muito rápido, comer uma quantidade excessiva e/ou tomar bastante água logo em seguida. É importante diferenciar vômito de regurgitação, que também tem essas características”, explica Vanessa Zimbres, veterinária proprietária da clínica Gato É Gente Boa, em Itu-SP. {PAYWALL_INICIO}

Já quando o assunto é eliminação de bolas de pelo, é preciso cautela. Gatos mais peludos, por exemplo, podem acumular mais pelos no sistema digestivo, no entanto nem todos eliminam através de vômito, pois muito desse pelo pode sair pelas fezes. “A bola de pelo é comum, mas não deve ser vista como normal. O vômito de bolas de pelo pode ser consequência de estresse ou comportamento compulsivo de excesso de lambedura ou disfunção na motilidade gástrica e esvaziamento do estômago”, aponta Vanessa. Segundo ela, as bolas de pelo são toleráveis desde que aconteçam no máximo duas vezes por mês. 

Quando não temos nem a regurgitação nem a bola de pelo, daí sim chegamos ao vômito. “Vomitar, para gatos, não é normal. E vômitos frequentes são sinal de alerta”, adverte Laila Massad Ribas, médica-veterinária especializada em felinos, responsável pelo blog Portal Medicina Felina

Quando ir ao veterinário?

 Segundo Vanessa, os vômitos frequentes são preocupantes e podem estar associados a condições crônicas ocultas. Portanto, se um único vômito não deve ser considerado um comportamento felino normal, sua frequência serve de sinal de alerta, pois somente maiores investigações de um veterinário e exames podem chegar ao real problema. Outros indicativos de que a ajuda médica especializada é necessária é quando o vômito é acompanhado de letargia, é observada a perda de apetite ou qualquer outro comportamento anormal no pet. “O vômito é somente um sinal inespecífico dos processos de uma doença. Somente por ele não é possível chegar à conclusão de algum diagnóstico, mas suas características ajudam a direcionar a investigação para possíveis causas”, aponta Vanessa, que cita o vômito como uma das queixas mais comuns da Medicina Felina. “Se o gato vomita vez ou outra, mas retorna às atividades regulares e parece saudável, não há com o que se preocupar. Se ele apresenta vômitos frequentes e é diagnosticado que ele se alimenta muito rápido, pode ser útil fazer uma modificação no ambiente, determinar horários para a alimentação e trocar o modelo dos comedouros. No entanto, se existem vômitos excessivos, estes podem ser resultado de uma condição séria”, continua Vanessa.

Possíveis significados

Os tipos de vômito nos gatos podem ser muito variados. “Vômitos pastosos de ração já digerida indica a possibilidade de retardo do esvaziamento gástrico, que podem estar associados a gastrite, irritação do trato gastrointestinal e várias outras causas. Já vômitos fétidos podem indicar obstrução intestinal. Vômitos escuros ou com sangue mostram uma grave úlcera gástrica ou processos neoplásicos”, exemplifica Vanessa. 

Laila acrescenta que líquidos amarelados ou esverdeados significam que o estômago estava vazio e que o gato está vomitando a bile, produzida no fígado. Em alguns casos em que não há mais conteúdo no estômago, ele pode vomitar somente líquido, às vezes sem cor e às vezes esbranquiçado. Ela reforça, porém, que apesar dos indicativos, é muito difícil diagnosticar um animal somente por seu vômito. É preciso exames físico e complementares para auxiliar no diagnóstico. “O sintoma pode indicar várias doenças, desde aquelas ligadas diretamente ao sistema gastrointestinal, como inflamações, até doenças renais crônicas ou agudas. Até uma dor profunda pode causar vômitos, mesmo que ela não esteja na barriga”, diz Laila. Respostas adversas do organismo do felino a alimentos e medicações também podem resultar em vômitos. “Eles são mais comuns em intolerâncias alimentares, inflamações intestinais, intoxicações e uso de medicações”, conta Vanessa. 


Por: Samia Malas

Agradecimento:

VANESSA ZIMBRES

Médica-veterinária especializada em Medicina Felina e sócia-proprietária da clínica Gato É Gente Boa, Itu-SP, clínica com selo Cat Friendly Practices Gold.

LAILA MASSAD RIBAS

Médica-veterinária especializada em Medicina Felina, possui mestrado e doutorado pela USP e pós-doutorado pela Unesp. É autora do site www.portalmedicinafelina.com.br.


 {PAYWALL_FIM}