Banner

Vômitos em gatos

Categoria: Saúde

Autor(a): Patrícia Nuñez Bastos de Souza | Colaborador(es): Jornalismo Top.Co. | Cidade: Campinas | 06/08/2013 - 11:28

Se vomitar várias vezes em um mesmo dia, você deverá levá-lo imediatamente ao veterinário para que ele não desidrate
Mahal Mabel – Ragdoll - 3 anos

Mahal Mabel – Ragdoll - 3 anos

Todo tutor de gatos já se deparou com uma surpresa não muito agradável - o vômito - em alguns lugares também não muito comuns. Esta é uma queixa bastante recorrente, especialmente na clínica de felinos. Na maioria das vezes há raros episódios, com intervalos de tempo espaçados e que normalmente não têm muito significado clínico quando não estão acompanhados de outros sintomas. Porém, se seu bichano vomita pelo menos uma vez por semana, é necessário levá-lo ao veterinário para um check-up e tentar descobrir qual a causa deste sintoma. Observe qual o conteúdo do vômito e se há algum outro sintoma, como a perda do apetite, emagrecimento, diarreia e prostração.
Estamos falando aqui de ocorrências únicas diárias de vômitos, alternadas com grande espaço de tempo sem qualquer alteração (quadro crônico), e não quando seu gato começa a vomitar várias vezes em um mesmo dia (quadro agudo), pois neste caso você deverá levá-lo imediatamente ao veterinário, para que ele não desidrate.
Alguns animais, logo após se alimentarem, expelem o alimento ingerido. Isto é chamado de regurgitação, pois o conteúdo não chegou ao estômago e, normalmente, é eliminado com uma forma cilíndrica (forma do esôfago) e o alimento não está digerido. É comum, após a regurgitação, o gato ingerir este conteúdo novamente (eca! não se assuste, este é um comportamento normal). No caso do vômito, o animal elimina secreção gástrica, a consistência é mais aquosa e pode haver bile, possui um odor um tanto característico e o que foi ingerido por ele se encontra digerido.
A recorrência do vômito em gatos pode ter várias razões, pode não ter significado clínico, ou indicar ingestão excessiva de pelos, por falta de escovação ou por alteração comportamental (o gato arranca os pelos compulsivamente), ou, ainda, por problemas como alergia alimentar, gastrite, ingestão muito rápida de alimentos, lipidose hepática, obstrução intestinal e outros. Vamos comentar aqui as causas mais frequentes.
 
Pelos: a formação de bolas de pelo no estômago é a principal causa de vômito. Os gatos ingerem pelos ao se lamberem e, algumas vezes, esses pelos causam no estômago alterações na motilidade e irritação da mucosa gástrica (gastrite). A forma simples de se evitar ou minimizar o problema é a escovação diária, a favor e contra o sentido do pelo. Gatos de pelos longos apresentam mais problemas, mas os de pelos curtos padecem do mesmo mal. Além da escovação, há alguns produtos que ajudam o felino a expelir as bolas de pelo.
 
Alergia alimentar: mudanças súbitas na dieta, como a troca de ração, também podem desencadear vômitos. Observe se a ocorrência do problema está ligada a estas causas e converse com o veterinário. Existem rações hipoalergênicas no mercado (para animais sensíveis), que diminuem ou evitam a intolerância alimentar. Às vezes uma simples mudança de ração já resolve o problema.
 
Corpo estranho: devido à curiosidade dos gatos, existe a possibilidade de ingestão de objetos que podem obstruir o trato digestivo e ocasionar vômitos. O mais comum é a ingestão de corpos lineares (fios, linhas ou barbantes). Esta é uma condição séria, que requer intervenção cirúrgica, mas que pode se iniciar com vômitos esporádicos. Para o correto diagnóstico são necessários radiografias, ultrassonografia e um exame clínico apurado.
 

Existem outras causas de vômitos em gatos, como: parasitismo (vermes), pancreatite, distúrbios hepáticos, infecções, medicamentos, toxinas ou plantas. Se você se depara com vômito esporadicamente, mas o apetite, a atividade e o comportamento de seu animal são normais, não há necessidade de preocupação. Faz parte do nosso convívio com eles (embora não seja a parte mais agradável!), mas, se vem acontecendo com frequência, não hesite em contatar o veterinário. Esta é a atitude mais correta a ser tomada. Seu bichano agradece!

Patrícia Nuñez Bastos de Souza 
Médica veterinária
patriciaveterinaria@gmail.com